Página Inicial
Câmara Municipal de Silvânia
 
     
     
 

História

Silvânia teve início por volta do ano de 1774, com a descoberta de lavras de ouro na região. Isso atraiu aventureiros de diversas regiões, inclusive da Bahia, os quais trouxeram consigo uma imagem de Nosso Senhor do Bonfim, o qual deu nome ao arraial que ali surgira. Somente no ano de 1833, a capelinha do arraial de Nosso Senhor do Bonfim recebeu o título de paróquia. O arraial recebeu o título de vila em 02 de abril de 1833. A vila obeteve o foro de cidade em 05 de outubro de 1857 através de uma resolução da província de Goiás.[5] A primeira escola pública de Silvânia foi criada em 1829, e Joaquim Gomes Pinto, seu primeiro professor. A educação ganhou destaque no município com a vinda das escolas Salesianas, o Ginásio Anchieta em 1926 e o Instituto Auxiliadora em 1937. O nome Bonfim, foi alterado para Silvânia em 1943, em homenagem à família Silva, de Vicente Miguel da Silva e seus descendentes, que ocupavam cargos de grande prestígio na cidade. Do município de Silvânia, foram desmembrados alguns municípios: Vianópolis, Leopoldo de Bulhões, São Miguel do Passa Quatro e Gameleira de Goiás. Silvânia continua sendo um importante polo comercial e educacional da região da estrada de ferro.

Economia

Economia baseada em pecuária, agricultura e produção de cerâmica (tijolos, que são vendidos principalmente em Brasília).
Cidade criada na época da exploração do ouro. Contribuiu para a formação de grandes figuras do Estado com o Ginásio Anchieta e Instituto Auxiliadora.
Escritores da cidade: Americano do Brasil e Salomão Sousa

Turismo


Elementos turísticos: Igreja do Senhor do Bonfim, com mais de duzentos anos, e regiões marcadas pela exploração do ouro, como crateras originadas de tal exploração.

Dados

Aniversário: 5 de outubro
Fundação: 1833
Gentílico: Silvâniense
Prefeita: Gilda Alves de Oliveira Naves (PSDB)

Localização
16° 39' 32" S 48° 36' 28" O

Unidade federativa: Goiás
Mesorregião: Sul Goiano IBGE/2008 [1]
Microrregião: Pires do Rio IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes: Vianópolis, Luziânia, Leopoldo de Bulhões, Anápolis, Bela vista, Alexania, Bonfinópolis, Goiânia
Distância até a capital: 84 quilômetros

Características geográficas
Área: 2.264,769 km²
População: 19.038 hab. est. IBGE/2008 [2]
Densidade: 8,5 hab./km²
Altitude: 898 metros
Clima: Tropical úmido
Fuso horário: UTC-3

Indicadores
IDH: 0,774 médio PNUD/2000 [3]
PIB: R$ 169.643 mil IBGE/2005 [4]
PIB per capita: R$ 8.918,00 IBGE/2005 [4]

Fonte: Wikipédia

Estação Ferroviária

A estação de Bonfim foi inaugurada em 1930. Mais tarde seu nome foi alterado para Silvânia. A estação fica afastada da sede do município. Conta-se que o Prefeito na época, não permitiu a passagem do trilhos pela cidade, por isto ela ficou longe: 2 quilômetros. Isto não ocorreu nas demais que passavam bem no centro das cidades. Hoje a estação está servindo como moradia, bastante mal conservada. "A estação de Silvânia foi inaugurada com o nome de Caturama, que quer dizer "Boa Sorte". Anos mais tarde passou a ser chamada de Bonfim, tal qual o município e só depois recebeu o nome atual, acompanhando a troca do nome do município, em homenagem à família de Vicente Miguel da Silva, considerada de prestígio e de influência política. Conversando com moradores mais antigos, estes afirmam que a ferrovia tinha planos de passar dentro da cidade, chegando até a deixar pronto o lastro dentro da malha urbana e além. Entretanto, ao que parece, o prefeito da época colocou inúmeros obstáculos, fazendo com que a estação fosse construída a seis quilômetros da cidade. Seja como for, a estação que segue um modelo utilizado nas cidades mais populosas, tais como a de Ipameri e de Pires do Rio, é a única que tem uma enorme placa de inauguração: "Estrada de Ferro de Goyaz Caturama Inaugurada em 1º de Maio de 1930 sendo presidente da República Exmo. Sr. Dr. Washingon Luiz Pereira de Souza e Ministro da Viação Exmo. Sr. Dr. Victor Konder Presidente do Estado de Goyaz Exmo. Sr. Dr. Alfredo de Moraes Inspetor Federal das Estradas: Exmo. Sr. Dr. Edmundo de Almeida Monte Off. EFG É provável que esse modelo fosse a expansão prevista dos projetos "básicos", aumentados conforme a necessidade. Segundo contam, um ano depois a ferrovia já atingia a estação de "Pindaibinha", da qual eu nunca pude encontrar nem a localização e nem maiores informações" Glaucio H. Chaves, 02/2009.

Histórico da linha

A linha-tronco da E. F. Goiaz foi aberta a partir de Araguari, onde já estavam os trilhos da Mogiana desde o ano de 1896, em seu primeiro trecho em 1911, até a ponte sobre o rio Paranaíba, na divisa entre os Estados de Minas Gerais e Goiás. A partir de então, foi aquela demora de sempre: avançando lentamente, atingiu Goiânia, capital do Estado de Goiás desde o início dos anos 1940, somente em 1950, e alguns anos mais tarde a linha foi prolongada em dois quilômetros até Campinas de Goiás. Aí parou. Com a entrada em operação da linha para Brasilia, a partir da estação de Roncador, o trecho até Goiânia perdeu em importância. Hoje boa parte da linha está em operação para trens cargueiros: trens de passageiros acabaram nos anos 1980.

E. F. Goiaz (1930-1965)
V. F. Centro Oeste (1965-1975)
RFFSA (1975-1996)
FCA (1996-Aos dias atuais)

SILVÂNIA (antiga CATURAMA)
Município de Silvânia, GO
Linha-tronco - km 320,880 (1960) GO-3316
Inauguração: 03.05.1930
Uso atual: moradia
Data de construção do prédio atual: n/d
Coordenadas da estação de Silvânia: 16°41'51.41"S 48°37'21.00"W

Fontes: Glaucio H. Chaves, 2009; Roberto Fonseca Dias, 2006; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960
 
Ao Vivo
 
 
 
 
   \\ Câmara Municipal de Silvânia - © - 2009-2013 - Todos os direitos reservados.
 Política de Privacidade - Termos de uso